PEDAGOGIA DO BOM SENSO

Nesta página, a cada mês, publicaremos um texto do livro Pedagogia do Bom Senso de C. Freinet com o objetivo de contribuir para a reflexão da prática pedagógica. Este é o sexto texto do livro. Você pode acessar nosso blog e escrever comentários sobre este texto. O endereço é: redefreinet.blogspot.com.br

 

 A VIDA SEMPRE SOBE!

    Começava o dia; as ovelhas haviam deixado o campo onde passaram a noite, e eu saía, com o alforje ao ombro, atrás do pastor plácido e sereno.

    Caminhava por trilhas cujo segredo só ele conhecia. Nenhum animal à nossa volta - apenas um longínquo sussurro e o tilintar dos chocalhos localizando o rebanho em movimento, entre as estradas e os pinheiros.

    Estava inquieto por não ver os meus animais: iríamos encontrá-los antes de transpormos as barreiras, ou teríamos de voltar atrás, para procurá-los durante todo um dia?

    Foi o velho pastor que me explicou a razão da sua serenidade:

    - Garoto, de manhã, os animais sempre sobem. Vão para os cumes. Não é que o pasto lá seja sempre mais abundante ou mais fácil; mas é um instinto do ser lançar os braços para o azul do céu e partir ao assalto dos cumes. O capim, conquistado à força de músculos e tenacidade, tem um valor exaltante, talvez só por ter sido muito desejado...

    - Pode ficar tranquilo: vamos encontrá-los todos lá em cima!

    E acrescentou: - Só me preocupa o pequeno bando de Léon, domesticado demais, habituado demais a comer nos pastos e na manjedoura, e que tem como que a nostalgia das barreiras e do estábulo. Parece que já não têm força para subir; o ideal deles já não é lá em cima, mas embaixo... Preferem a rédea ao azul do céu... lá não são ovelhas dignas e orgulhosas: são cães!

    Ouça os chocalhos, lá em cima, diante de nós! Só à noitinha, quando o sol se extinguir por trás do Rocheroux, os nossos animais também vão descer para a calma e a segurança do vale, para amanhã voltarem a subir mais alto ainda.

    E as crianças - diria o pastor - são como as ovelhas: querem subir sempre. Você só terá paz e certeza se souber ajudá-las, às vezes precedê-las na subida aos cumes, ou segui-las... Infelizmente dos seres domesticados cedo demais que perderam o sentido da subida e que, como velhos em fim de corrida, preferem, ao ar do espaço e ao azul do céu, a coleira da sujeição e a ração da renúncia!

    São bons todos os caminhos que levam para as alturas.

    

C. Freinet, Pedagogia do Bom Senso, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1996, pg. 12. 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!